domingo, 13 de setembro de 2009

A rua da solidão


Ele andava sozinho pela rua. Todos andam por essa rua alguma vez. Na verdade, algumas vezes. Mas mesmo assim, todos andam sozinhos.
Mas será mesmo que ele estava sozinho? Aquela rua podia ser terrível, mas será que todos os que o conhecem o abandonaram ali? É nessa hora que ele avista o fim daquela rua. Avista seus amigos. Amigos, aqueles que sempre estão lá, a qualquer momento, quando você precisar. Amigos são os únicos que podem tirá-lo dessa rua.
Ele correu, correu como nunca. E foi recebido como um rei por seus amigos. Não, foi recebido melhor que um rei, foi recebido como um verdadeiro amigo.
Naquela rua ele entrou sozinho e dela saiu com verdadeiros amigos e como uma nova pessoa, com uma nova vida e um novo amor.

3 comentários:

Rebeca disse...

Minha IMAGEM *-*
Adorei o texto, solidao depre.
Uhul!

beijos txutxucao :*

Carolina disse...

que lindoo *o*
parabéns runo ! *clap clap clap*

Thiago Medeiros disse...

Bom texto e boa metáfora!