sábado, 22 de agosto de 2009

Adeus


Chegou em casa e sentiu falta de alguma coisa. Não, alguma coisa não. Alguém. Faltava uma pessoa. Faltava ela. Procurou em toda a casa e não achou. Precisou esperar por ela durante alguns dias pra chegar a conclusão. Ela o abandonara.
Ele tentava conviver com essa nova perspectiva, mas tudo que ele olhava, os lugares por onde passava, tudo, o fazia lembrar dela. Ela era alegre, divertida e sempre carinhosa com ele. Mas havia mudado, tinha ficado mais fria e tinha passado a esquecê-lo. E agora, tinha ido embora, sem se despedir, sem se explicar. Ele tentava encontrar um por que. Um motivo para ela ter ido, pensou nas próprias atitudes, nos acontecimentos. Nada parecia ser motivo.
"Será que ela vai voltar?" Ele se perguntava.
Algum tempo passou. Ele abandonou aquela casa. Não a vendeu. Saiu. Comprou outra. Mas deixou um bilhete.
"Eu te esperei." Ele dizia. "Esperei por muito tempo. Você não voltou. O que um dia eu senti, hoje não sinto mais. Estou deixando essa casa para você. Não aguento mais viver nelar. Lembrar de alguém que me fez tanto mal. Que me fez sofrer quando era ela a errada. Espero que um dia você volte e leia isso." E assinava em baixo. "Daquele que um dia te amou... R..."

2 comentários:

Rebeca disse...

Ok que voce sabe que eu amo textos tristes, mas esse ficou tao bonitinho.. :)
Amiguinho, tudo vai dar certo, pode contar!

beijos :*

Matheus Chatack disse...

Vc levou um pé na bunca, primo? Foi aquela menina q sua irmã diz q vc pega mas q eu n vou citar nome na internet? (olha como eu to legal hoje! não citei nome!)