domingo, 10 de janeiro de 2010

Uma prova de amor

Tarde de verão. O Sol estava sozinho no céu como sempre. Sentia a falta de alguém. Céu azul, a única coisa que se avistava era o Sol. Solitário, o Sol resolveu procurar alguém com quem passar o tempo, alguém para distraí-lo.
Esperou o tempo passar, ficou até mais tarde. A princípio as pessoas na Terra pouco estranharam que a Lua e o Sol estavam no céu ao mesmo tempo, mas para o Sol fora uma grande descoberta. Havia outro alguém no céu. Não só um, pois este outro alguém era rodeado por pequenos “Sóis”.
A Lua acostumada a ver as estrelas se impressionou com o tamanho do Sol, mas não apenas com seu tamanho, viu em seu rosto a solidão, a tristeza de não ter ninguém por perto.
O Sol se aproximou e disse “Estaria tudo bem se nós pudéssemos conversar um pouco?” e a Lua prontamente respondeu “Sim, claro que sim, mas apenas se você puser um sorriso nesse rosto”. E o Sol sorriu. Sorriu como nunca sorrira antes. Neste momento a Terra foi iluminada como nunca antes. O céu ficou completamente dourado. E enquanto isso na Terra acontecia um alvoroço, pois o Sol continuava a brilhar durante a noite, e brilhava como nunca, escondia as estrelas, tudo que se podia ver eram o Sol e a Lua muito próximos.
Então o Sol se apaixonou pela Lua. Então a Lua se apaixonou pelo Sol. E os dois dançavam louca e apaixonadamente. Na Terra apenas podia-se observar uma constante mudança entre a mais completa escuridão e o maior clarão, a loucura estava instalada e o que mais se ouvia era que “o fim está próximo”.
Porém o Sol era quente demais e sua proximidade da Lua começava a machucá-la. Ele percebeu isso e, para protegê-la, resolveu se afastar. E na Terra tudo voltou ao normal.
O Sol e a Lua voltaram a ficar como sempre estiveram, porém sentiam um vazio, sentiam a falta um do outro. De tempos em tempos a saudade era tamanha que eles resolviam se encontrar por um breve momento, breve o suficiente para que a Lua não se machucasse e demorado o suficiente para que eles se amassem. Na Terra este passou a ser descrito como um fenômeno da natureza, foi chamado de Eclipse Solar. Neste momento, todos os habitantes que podiam, admiravam a prova de amor entre o Sol e a Lua.

6 comentários:

Rebeca disse...

Verdade, foi o melhor texto que voce ja escreveu no blog! :D

stephanie disse...

bruno sensível.. ôôôwn, muito fofo. ^__^
melhor até agora! O:

vitor disse...

mando cara...concordo com a Rebeca e a Stephanie (seja la quem elas forem), esse é seu melhor texto (dos que ja li)...

mika disse...

Muito lindo, adorei. Já tinha houvido uma história um pouco parecida com essa, mas muito legal mesmo. Parabéns

Ticiana disse...

Nossa, nunca vi um texto tão bom sobre um eclipse, hehe. Lindo, lembra até aquelas lendas que tanto escutamos quando crianças! =D
Parabéns. =D

Liiz disse...

Uma palavra pra descrever o texto: PERFEITO!
Sério, fiquei sem fala lendo isso e não pude evitar as lágrimas que insistiam em pular. Tocante. Profundo. Lindo.
Simplesmente, lindo.